domingo, 27 de janeiro de 2008

Mozart - Exsultate, jubilate, K. 165 e Ave verum corpus, K. 618

Continuando hoje as obras de Mozart - Animem-se os fãs de Beethoven estamos perto de começar a falar da obra deste compositor - hoje vamos falar de duas composições de música sacra absolutamente fantásticas e de natureza muito diferente. Na verdade hoje ainda farei um segundo post para vos falar um pouco do concerto a que fui assistir em Queluz mas aí admito será na qualidade de pai babado ...

Exsultate, jubilate, K. 165

Este motet é dividido em três partes Allegro, Andante, Allegro tendo sido escrito para o castrati Venanzio Rauzzini. Hoje em dia é cantado normalmente por uma soprano. Neste caso tentando de certa forma esconjurar o meu desgosto por não a poder ir ver à Gulbenkian escolhi Cecilia Bartoli na interpretação que podem ouvir e ver aqui.

Ave verum corpus, K. 618

A outra das obras de Mozart de que vamos falar hoje tem um carácter muito mais introspectivo do que a anterior. Composto apenas seis meses antes da sua morte foi escrito para Anton Stoll um amigo comum de Mozart e Haydn responsável musical na paróquia de Baden perto de Viena. Para ilustrar esta composição escolhemos uma interpretação do Coro de Rapazes de Viena que poderão ver aqui.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Oportunidades na Amazon