terça-feira, 19 de abril de 2011

Verdi e Berlusconi - A história da actualidade de uma composição eterna

Já vos tinha falado deste episódio mas agora tenho o vídeo do que se passou na Ópera de Roma. Arrepiante. Por duas razões. Primeiro porque demonstra que afinal a música clássica não é algo morto, que pertence a um museu, segundo porque nos faz pensar que eventualmente há coisas cujo valor não se mede pelos Euros que custam porque representam muito mais do que isso ...

Por isso oiçam o que Ricardo Mutti diz ao público quando aceita o "bis" pedido pelo público ... Ele está a falar das reduções orçamentais impostas por Berlusconni ... Obviamente que o coro dos escravos cantado por toda a Ópera de Roma em pé é um sinal pelo menos de reflexão.

Obrigado ao Sergio Azevedo que nos relembrou este evento no Facebook.

7 comentários:

  1. Emocionante, Fernando. Estive quase a publicar isto, só não o fiz porque resisto a misturar música e política - mas de facto vale a pena abrir uma excepção e reviver um momento raro em que a música, a arte, vence tudo. Por mim, um longo silêncio final teria sido homenagem ainda mais adequada.

    :) Obrigado, Fernando.

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  3. Caro Fernando,
    Por incrível que pareça, só hoje me confrontei com o seu blogeue, estndo eu na blogosfera há cerca de um ano e meio com o nosso blogue "Fanáticos da Ópera".
    O seu blogue é muito útil e, por isso, decidi passar a segui-lo diariamente, tendo-me acrescentado à lista dos seguidores.
    Obrigado e bem haja

    ResponderEliminar
  4. @Mário: Mas há pontos onde se intersectam. Há decisões politicas sobre as artes e há também ocasiões em que a Música faz um "statement" politico. Para mim por exemplo não existe nada de mais profundamente revolucionário (e escolhi a palavra profundamente com critério) do que a Nona de Beethoven. Quando o Barenboim aceita aquela homenagem do estado de Israel com aquele discurso brilhante é politica feita por um músico (e bem feita na minha opinião). Este discurso do Mutti está na mesma linha ... Não creio que exista algo de errado nisso a não ser quando se procura condicionar o talento a uma determinada orientação politica seja ela qual for ...

    ResponderEliminar
  5. @Fanático Um: Seja muito bem vindo! Suponho que o outro comentário que apenas tinha xxx seja um teste mal sucedido ? Vou claramente retribuir a sua gentileza e passar a seguir o vosso blog também. Se me permitir aliás gostaria de fazer um pequeno post sobre o vosso blog já que embora tenha começado a falar aqui de Ópera romântica essencialmente o vosso blog tem muito mais informação (e qualidade) do que aquela que posso oferecer.

    ResponderEliminar
  6. Caro Fernando,

    Poderá escrever o que entender por bem neste seu magnífico blogue. Como referi anteriormente, é muito informativo, útil e completo.
    O XXX que refere poderá ter resultado de imperícia minha nestas lides da blogosfera! Não tenho ideia de o ter feito, mas sou pessoa para isso, imvoluntariamente. As minhas desculpas.
    Sinto-me (ou melhor, sentimo-nos, pois estou certo que represento a posição dos outros dois colegas de blogue)lisonjeado e, sobretudo, embaraçado. Se me permite a ousadia de recorrer a uma mnetáfora popular, será o sapateiro a escrever sobre o remendão!

    ResponderEliminar
  7. @FanaticoUm : Não tem que pedir desculpa, estava apenas na dúvida se o deveria ou não publicar. Assim sendo será eliminado. De resto é exagero vosso mas obrigado pelo elogio. Irei então fazer uma recomendação de visita ao vosso blog. Voltem sempre!

    ResponderEliminar

Oportunidades na Amazon