domingo, 22 de junho de 2008

Schubert - "Winterreise" - Wasserflut (A Enchente)


A tradução original do poema é de Eduardo Gabarra que poderão encontrar aqui. Fizemos ligeiras alterações à tradução que apontamos em azul. A ilustração é da grande voz Lotte Lehmann. Também são dela as principais indicações que damos quanto a esta canção provenientes do livro "Eightheen Song Cycles - Studies in Their Interpretation". Não deixem também de ler o artigo sobre este conjunto de canções aqui.

Nesta canção segundo Lotte Lehmann nos conselhos que dá para a sua interpretação o importante é ser capaz de trazer a paixão da vida para o esqueleto de uma melodia muito austera. Diz também que dar demasiados detalhes seria a sua destruição. Nós não queremos discordar da nossa referência por isso sem mais demoras leiam o poema ao mesmo tempo que ouvem uma interpretação do barítono aqui.


A Enchente

Tantas lágrimas dos meus olhos
caíram na neve;
os seus flocos gelados embebem-se
sedentos, da minha dor ardente.

Quando a relva estiver para crescer
um vento morno soprará
e o gelo vai quebrar-se em pedaços
e a neve desfeita derreter-se-à

Neve, conheces o meu anseio,
diz-me , para onde corre o teu curso ?
Se apenas seguires as minhas lágrimas
logo irás dar ao ribeiro.

Passarás com ele através da cidade,
entrando e saindo de ruas alegres;
quando sentires arder as minhas lágrimas
aí estará a casa de minha amada.

2 comentários:

  1. Uma poderosíssima declaração de Amor, tanto nas palavras como na música e na expressão do intérprete.
    Obrigada. É isto o Amor, uma neve que é capaz de se tornar ardente, contra todas as leis da Física...
    Um abraço, Fernando, para si, da Avó Pirueta

    ResponderEliminar

Oportunidades na Amazon