quinta-feira, 20 de setembro de 2012

In Memoriam - Luiz Goes (1933-2012)

Como sabem de vez em quando abro as portas deste blog a outros estilos de música quer por intermédio de interpretes quer por canções ou eventos. Neste caso como o título indica não será para vos dar uma noticia até porque já viria atrasada.

É um post que pretende ser uma homenagem à canção de Coimbra, ao Fado de Coimbra de que digo já antes que façam comentários depreciativos gosto muito (e não é apenas por Coimbra ser a cidade onde nasci, gosto mesmo da forma musical).

Luiz Goes era sem dúvida uma das vozes e dos poetas mais conhecidos da canção coimbrã, um daqueles de que tinha e tenho pelo menos um disco e na memória algumas partes de algumas canções que por vezes me vêm aos lábios (não me atrevo a trautear por razões que saberão alguns).

E porque de memória deve tratar este post e porque se Luiz Goes faleceu a sua música permanece resolvi escolher algumas canções seguindo o critério pessoal e discutível da minha memória (curta) neste domínio. Fiquem com estas canções que como diz outro músico e poeta as saudades são a única coisa que é bom matar ...

Romagem à Lapa

Se um dia a vida parasse
E a gente voltasse
Ao tempo que havia
E se o Mondego passasse
E a todos levasse
A um velho dia
Talvez a Lapa cantasse
E em pedra gravasse
A nossa alegria
Talvez a Lapa sorrisse
E à pedra se ouvisse
"Olá Poesia"

Se agora o rio pudesse
Juntar quem padece
De tal nostalgia
E tanta gente viesse
Sem sonhos nem preces
E sem rebeldia
Talvez a Lapa chorasse
E em pedra gravasse
A nossa agonia
Talvez a Lapa sofresse
E à pedra dissesse
"Adeus Poesia"

 

É Preciso Acreditar




Fado da Despedida


Sem comentários:

Publicar um comentário

Oportunidades na Amazon