quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Natal é ? De Bach passando por Mozart sempre foi (é) a mesma coisa : Amor

As dádivas que não se podem comprar mas apenas oferecer, a partilha, os abraços sentidos, o cheiro das filhós, as memórias do trabalho que deram a fintar,  o cheiro da lareira se a houver, a frescura do musgo do presépio, a não menor frescura do riso dos filhos ou dos sobrinhos; o brilho dos olhos das crianças.

Normalmente neste digo-vos que ninguém consegue exprimir isto melhor do que Bach e até já vos dei por várias vezes como presente virtual a Oratória de Natal deste compositor. Não é uma má escolha convenha-se. Aliás para aperitivo aqui fica.





Outras vezes propus Mozart e já agora vou também repetir neste caso numa interpretação de Cecilia Bartoli do KV 165 - Exsultate Jubilate (aproximadamente regozijem-se sejam felizes).




Porém hoje - hoje encontrei o melhor sinónimo do que é o Natal e em música ... a partilha entre pai e filho de uma interpretação ... e pronto se não souberem tocar piano fiquem-se pela partilha com a família que é neste caso (e apenas neste caso para que isto não sirva de desculpa para preguiças alheias) perdoado pelas altas instâncias artísticas,

Nuno Batoca e o seu filho Hugo (com a devida autorização parental).

Um Santo Natal para todos. Amanhã haverá mais música se a inspiração assim ditar :-)




Sem comentários:

Publicar um comentário

Oportunidades na Amazon